Quem não conhece a história trágica e quase surreal da princesa Diana? Muitos filmes já foram lançados contando a história da família real Inglesa, e em breve “Spencer” trará uma perspectiva completamente nova sobre o divórcio da princesa Diana, também conhecida como Lady Di, e do príncipe Charles. 

Baseado em eventos reais, “Spencer” é dirigido por Pablo Larraín, produtor e escritor chileno conhecido por ter trabalhado nos filmes “O Clube” (2015), “Jackie” (2016), e “No” (2012). Neste texto, vamos contar alguns fatos sobre o filme que você talvez ainda não saiba. 

Enredo principal

O enredo principal de “Spencer” começa quando o casamento entre a princesa Diana e príncipe Charles esfria. Apesar de já haver rumores de um divórcio e traições, as festividades de Natal fazem com que o casal mantenha a paz por um tempo. 

O filme então demonstra a família real se reunindo para comer e beber, além de praticar a tradição da caça e do tiro. Foi neste Natal que Lady Di decidiu se divorciar do seu marido para viver a sua própria vida – e o filme retrata todas as dificuldades que ela sofria durante o casamento, além de interpretar o que pode ter acontecido durante aqueles dias.

Elenco

Com o roteiro escrito por Steven Knight, “Spencer” tem como estrela Kristen Stewart no papel de Lady Di, enquanto Jack Farthing interpreta o príncipe Charles. Outros atores também presentes no elenco são Timothy Spall, Sean Harris e Sally Hawkins. 

Kristen Stewart revelou ter assistido à série The Crown para se preparar para o papel. The Crown, obra original da Netflix, retrata a família real, sua dinâmica e as rivalidades políticas no reinado da rainha Elizabeth II. A princesa Diana também é retratada em algumas temporadas.

“Larraín criou algo muito diferente, muito íntimo, e muito revelador”

De acordo com o crítico Pete Hammond, o filme de Larraín é bem diferente das outras perspectivas que a mídia trouxe a respeito da princesa Diana – desde às entrevistas cheias de controvérsia à adaptação de The Crown, na qual ela foi interpretada pela atriz Emma Corrin.

Em uma resenha para o site Deadline, Hammond comenta: “Larraín criou algo muito diferente, muito íntimo, e muito revelador ao nos levar profundamente para a cabeça de Diana, já que ela está claramente exasperada tendo tomado a decisão de se divorciar de Charles, falhando até mesmo em esconder a sua tristeza e desdém em relação ao fato da realeza a estar aprisionando a uma vida da qual ela perdeu o controle, mas que está desesperadamente tentando retomar”. Aqui, o crítico se refere à cena da festa.

O filme já foi lançado em festivais

Apesar de ainda não estar disponível nos cinemas ou plataformas de streaming, “Spencer” foi lançado no dia 3 de setembro no Venice Film Festival, na Itália, e no dia 4 de setembro no Telluride Film Festival, nos EUA. Somente no início de novembro ele estará disponível para o público geral.

“É uma fábula baseada em uma tragédia real”

O filme foge de muitas das interpretações da história de Lady Di que já conhecemos, e o diretor usa da sua criatividade para recriar o que pode ter acontecido na época do divórcio. Por isso, tanto o diretor quanto os críticos veem o longa como uma fábula, mas baseada em uma história real que todos sabemos ter terminado em tragédia há mais de duas décadas.

Em entrevista, Pablo Larraín comenta: “Nós não estamos tentando explicar quem ela foi ou responder perguntas em uma escala maior da sua vida. Estamos retratando como ficção a maioria [das cenas] baseado no que achamos que pode ter acontecido”. 

Na mesma entrevista, ele comentou que a sua mãe gostava muito de Lady Di e se inspirava por ela: “Então eu me questionei porque Diana criou um nível tão grande de empatia”. Ele completou: “Ela era uma mulher comum presa em um contexto incomum. Mesmo que tenha vindo de um ambiente aristocrático e fosse próxima da família real, ela se tornou um ícone de coisas comuns a todos”.

By news