Quem acompanha o “Rei” Roberto Carlos sabe que o cantor tem uma perna mecânica. Porém, esse sempre foi o maior tabu de sua vida, já que ele nunca gostou de falar sobre o assunto – até agora, 67 anos depois do ocorrido. A perda de uma perna após um atropelamento por trem quando ele ainda era criança será assunto de uma minissérie de quatro episódios.

A minissérie escrita pelo jornalista Nelson Motta junto à roteirista Patrícia Andrade, de “Dois Filhos de Francisco”, narra o episódio ocorrido na cidade natal do cantor, Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo.

História 

Numa entrevista ao podcast do publicitário Washington Olivetto, W/Cast, Nelson Motta disse: “Roberto contou que com 13/14 anos ele não tinha prótese na perna. Era aquela calça com alfinetinho e a muleta. Ele ia para o colégio, brincava. Depois, o pai dele ouviu falar que no Rio havia um médico que fazia prótese. Ele foi lá com o pai, mas não deu em nada. No terceiro hospital que eles foram, ouviram falar de um médico alemão. Vai ver foi treinado em algum campo de concentração ou era um inocente só. O fato é que o cara era um craque. O alemão botou uma bola de tênis para amenizar e construiu uma prótese para o Roberto. Ele contou que saiu correndo, tropeçando, foi correndo pela praia. No dia seguinte, ele foi a um baile e dançou a noite inteira. Ele não teve nenhum problema em falar da perna, do acidente”.

Nelson ainda explicou como foram feitas as entrevistas com Roberto para ter material para a série. “Fizemos várias entrevistas com ele, e ele foi ótimo. A tática era perfeita: ‘Roberto, a gente só vai botar no roteiro o que você contar. O que você não quiser, não conta, simplesmente’. Ele, surpreendentemente, se abriu bastante. Eu disse a ele que, para fazer o projeto, seria importante que o personagem fosse humanizado. Ele já virou uma entidade. O cara tem que ser corneado, o cara tem que sofrer, e ele topou tudo isso. Meu compromisso era fazer o primeiro tratamento. Patrícia fez outras versões e agora não falta mais nada. Falta só o OK dele mesmo”,

Ainda não há previsões de quando as gravações iniciarão. Por enquanto, os fãs de Roberto Carlos podem aproveitar que 2021 não será como o ano passado, e que haverá o tradicional Especial de Fim de Ano com o “Rei”.

Especial de 2021

Sim, no dia 23 de dezembro de 2021 o especial de fim de ano de Roberto Carlos retorna, com um time de cantores nada modesto. Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa e Chico Buarque já foram convidados pela produção do cantor para participar – agora só falta eles confirmarem presença. Além das estrelas, o “Rei” receberá outros cantores e prestará homenagem ao seu filho Dudu Braga, que faleceu recentemente aos 52 anos. 

Em 2022, Roberto Carlos completa 81 anos, e já tem agendados quase 100 shows ao redor do país.

“O Rei e Eu – Minha Vida Com Roberto Carlos”

Nichollas Mariano, o ex-contador e ex-mordomo de Roberto Carlos, em breve irá lançar um livro sobre os doze anos em que conviveu com o cantor em sua fase áurea, entre 1962 e 1973. O autor escreveu a primeira biografia censurada por Roberto Carlos, em 1979, que foi proibida em seu lançamento.

Porém, em dezembro deste ano, o livro deve chegar às livrarias. Desta vez, Nichollas fez algumas edições para remover detalhes que incomodaram o cantor na época, mas ainda trará boas histórias sobre ele. O escritor de 76 anos já disse a respeito do artista: “Não me curvo a ele. Comemos muito pão com mortadela juntos”.

Em entrevista, ele comentou que deve ter sido um dos primeiros fãs de Roberto Carlos, e que “além de mordomo, eu era seu procurador. Eu podia assinar cheques, documentos e contratar em nome do Roberto. Vou contar no novo livro um pouco da minha história também, a história das rádios. Do Rei, não vou contar tudo”.

By news

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *