Aos 82 anos, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, continua internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O Rei do Futebol deu entrada ao hospital após apresentar um quadro de inchaço no corpo e também uma leve confusão mental. Com isso, o ex-jogador foi levado até o local por sua esposa, Márcia Aoki, e um cuidador, que sempre o acompanha.

Pelo que foi revelado pela equipe médica do Hospital Albert Einstein até o momento, quando chegou ao local, o Rei do Futebol apresentava um quadro de anasarca e síndrome edemigênica. Além disso, os médicos notaram uma insuficiência cardíaca descompensada, o que tem colaborado para o prolongamento na internação de Pelé. No entanto, esses não foram os únicos pontos de preocupação detectados e notificados pelos médicos. 

Segundo os especialistas, a quimioterapia pela qual Pelé está passando não tem surtido efeito nos tumores que afetam vários órgãos do corpo do ex-futebolista. Pelé deu início ao tratamento de um câncer no cólon, uma das regiões do intestino, em setembro do ano passado. Contudo, de acordo com a Folha de São Paulo, a doença acabou se espalhando para outros órgãos do Rei, como o fígado e o pulmão. Com isso, atualmente os tratamentos que o ex-jogador está recebendo são paliativos, visando diminuir a dor e promover o seu conforto. 

Recentemente, a equipe médica do Hospital Albert Einstein revelou que Pelé está em um quarto comum, apresentando uma melhora constante no seu estado geral, principalmente em relação a uma infecção respiratória. “O paciente segue evoluindo com melhora progressiva do estado geral, em especial da infecção respiratória. Permanece em quarto comum, com sinais vitais estáveis, consciente e sem novas intercorrências”, dizia o boletim médico. 

Homenagem a Pelé

A Conmebol, entidade que comanda o futebol sul-americano, sugeriu que a CBF altere três das cinco estrelas que compõem seu escudo e coloque três corações no lugar. A medida seria uma forma de homenagear a cidade natal de Pelé, Três Corações, em Minas Gerais. Além disso, a mudança também faria referência às três Copas do Mundo que o Rei conquistou atuando pela seleção brasileira.

A sugestão foi revelada durante uma exposição em homenagem a Pelé por Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, em Doha, Qatar. O vice-presidente da CBF, Fernando Sarney, que esteve presente no evento, afirmou que a confederação tupiniquim irá analisar a sugestão, sendo que o estatuto da CBF prevê que qualquer mudança no escudo precisa passar pelo crivo da diretoria. 

Enquanto isso, após o triunfo sobre a Inglaterra, o craque francês Kilyan Mbappé, aproveitou os holofotes sobre a  classificação da França  para as semifinais para desejar melhoras para o Rei do Futebol. “Tudo de melhor para ele. Estou com ele e desejo que melhore. Estamos sentindo falta dele aqui, e eu ainda mais”, disse o camisa 10 da seleção francesa.

Nos últimos dias, Pelé e Mbappé já haviam trocado algumas mensagens, já que o francês havia postado em seu Twitter: “Ore pelo Rei”. Em resposta, Pelé agradeceu e afirmou que estava contente em ver o francês quebrar seus recordes. “Obrigado, Mbappé, fico feliz em ver você quebrando mais um dos meus recordes nessa Copa, meu amigo!”, dizia a postagem de Pelé. 

Carinho especial com Neymar

Apesar do seu estado de saúde atual, Pelé não deixou de demonstrar uma boa dose de carinho a Neymar após a eliminação da seleção brasileira da Copa do Mundo do Qatar. O Rei do Futebol parabenizou Neymar pelo camisa 10 ter igualado o seu recorde de gols com a camisa amarelinha. Segundo Pelé, é extremamente gratificante ver alguém que ele viu crescer e torceu por todos esses anos igualar o seu número de gols pelo Brasil.

Além disso, Pelé relembrou a Neymar: o recorde é importante, mas o maior dever de um ídolo é inspirar outras pessoas, colegas de profissão e as próximas gerações de jogadores e todo mundo que ama o futebol.

By news